Orientação do Dia
14 dez
Tudo depende do nosso coração, da nossa “mente de fé”. Como Daishonin diz: “O que realmente importa é a fé.” (MW 1, p.246) Atingir a Budicidade, ou seja, estabelecer uma condição de vida de felicidade absoluta, depende totalmente da força da nossa fé. Por isso o nosso coração não deve ser abalado. Não devemos permitir que o nosso coração seja afectado pela inveja e pela cobardia, mas devemos sim desenvolver um “coração de fé” forte e generoso. Pois nisto reside a felicidade.

Daisaku Ikeda

Daisaku Ikeda é um filósofo Budista, promotor da paz, educador, autor e poeta. Ele é o terceiro presidente da Soka Gakkai e presidente fundador da Soka Gakkai Internacional (SGI).

Ikeda nasceu em Tokyo, Japão, no dia 2 de Janeiro de 1928, o quinto de oito filhos, numa família de pescadores de algas. A devastação e o horror insensato que ele testemunhou enquanto jovem durante a Segunda Guerra Mundial, fez surgir no seu coração uma paixão de trabalhar para a paz, e erradicar as causas fundamentais do conflito humano.

Em 1947, aos 19 anos, conheceu Josei Toda (1900-58), um educador e líder da Soka Gakkai. Ikeda encontrou em Toda uma pessoa disponível e inabalável, um homem com uma convicção inquebrável com um dom para explicar profundos conceitos Budistas em termos lógicos e acessíveis. Ele rapidamente encontrou emprego numa das empresas de Toda e mais tarde completou a sua educação sob a tutela de Toda, que se tornou o seu mestre de vida.

Em Maio de 1960, dois anos depois da morte de Toda, Daisaku Ikeda, tornou-se presidente da Soka Gakkai, então com 32 anos, como seu sucessor. Com a sua liderança, o movimento começou uma era de inovação e expansão, tornando-se activamente envolvido nas áreas da cultura e educação na sociedade em todo o mundo. Ikeda tem-se dedicado a realizar o sonho de Toda ao desenvolver iniciativas nas áreas da paz, cultura e educação.

No ano de 1975, Ikeda tornou-se o primeiro presidente da SGI.

Ikeda é o fundador das escolas Soka (criação de valor), um sistema escolar não confessional baseado no ideal de cuidar do potencial criativo único de cada estudante e cultivar uma ética de paz, contribuição social e consciência global. O sistema escolar existe deste o jardim de infância até à faculdade e inclui universidades em Tóquio, Japão, e outra na Califórnia, Estados Unidos da América.

Ikeda é um firme defensor do diálogo como fundação para a paz. Desde a década de 70 tem procurado o diálogo com um vasto leque de indivíduos por todo o mundo nos campos politicos, culturais, educacionais e académicos. Por forma a incentivar a sua visão de promover o diálogo e a solidariedade para a paz, Ikeda fundou institutos de pesquisa independentes e não lucrativos que desenvolvem a colaboração interdisciplinar e intercultural sobre diversos assuntos. A associação de concertos Min-On e o Museu de Arte Fuji de Toquio promovem uma compreensão mútua e amizade entre diversas culturas nacionais através das artes.

O princípio central do pensamento de Ikeda, e do Budismo, é a santidade fundamental da vida, um valor no qual Ikeda vê a chave para uma paz duradoura e felicidade humana. No seu ponto de vista, a paz mundial reside, em última análise, numa auto-transformação dentro da vida do indivíduo, em vez de reformas estruturais e sociais apenas. Na sua mais conhecida obra, Revolução humana, a história e ideais da SGI na forma de romance, Ikeda expressa esta ideia de forma sucinta:

“Uma grande revolução num único indivíduo irá ajudar à mudança do destino de uma nação e, mais ainda, irá permitir uma mudança no destino de toda a humanidade.”