Orientação do Dia
14 dez
Tudo depende do nosso coração, da nossa “mente de fé”. Como Daishonin diz: “O que realmente importa é a fé.” (MW 1, p.246) Atingir a Budicidade, ou seja, estabelecer uma condição de vida de felicidade absoluta, depende totalmente da força da nossa fé. Por isso o nosso coração não deve ser abalado. Não devemos permitir que o nosso coração seja afectado pela inveja e pela cobardia, mas devemos sim desenvolver um “coração de fé” forte e generoso. Pois nisto reside a felicidade.

A SGI

“Uma grande revolução num único indivíduo irá ajudar à mudança do destino de uma nação e, mais ainda, irá permitir uma mudança no destino de toda a humanidade.”

Esta afirmação do presidente da SGI Daisaku Ikeda encapsula o âmago da filosofia da SGI: Cada um de nós tem um potencial insondável, e ao procurar manifestá-lo – através de circunstâncias desafiantes e pelo desejo de viver de forma mais responsável e plena – nós atravessamos um processo de mudança interna positiva que afecta a nossa família, o nosso local de trabalho, a sociedade e em última análise toda a vida.

Foi o segundo Presidente da Soka Gakkai, Josei Toda (1900-58) que formulou o conceito de revolução humana. Ao fazê-lo, ele deu à ideia genérica e abstracta da iluminação uma expressão contemporânea. Ele identificou a Budicidade como o potencial insondável das nossas vidas.

Como o seu mestre, o primeiro Presidente da Soka Gakkai Tsunesaburo Makiguchi (1871-1944), Toda não era um grande entusiasta religioso, mas era uma pessoa profundamente envolvida nos problemas da sociedade e procurava uma robusta base filosófica para poder resolver essas questões. Foi com base nesta preocupação que ambos encontraram valor no Budismo de Nichiren, com o seu foco no potencial humano positivo e acção compassiva. Isto levou-os a fundarem a Soka Gakkai em 1930.

As origens da SGI foram os seus esforços para, em conjunto com um grupo de indivíduos com o mesmo objectivo, aplicar esta filosofia aos problemas da vida diária e dialogar sobre as suas descobertas. A partir daqui cresceu um movimento global de pessoas comuns que se expandiu para 192 países e territórios – talvez o maior e mais diverso movimento laico de Budismo.

Hoje, existem mais de 12 milhões de membros da SGI em todo o mundo que continuam esta exploração do potencial transformador do Budismo e os efeitos da mudança do indivíduo na enorme rede da sociedade humana.